Esta página relaciona alguns dos elementos mais procurados pela Polícia Federal. Você é o visitante .

Todos eles têm ligação direta com a cidade de Cutucacú.

(para saber mais sobre a cidade, clique aqui)


Esta é Carlota Joaquinovski. Após algumas cáries, tratamentos de canal e uma forte gengivite, a única coisa que sobrou na boca dela foi 1 (um) dente. Há fortes indícios de sua ligação com a KGB.

 

Esta é a Cíntia Camelina. Ela ficou assim devido a quantidade excessiva de drogas que ingeriu durante 20 anos de sua vida. Iniciou o tráfico de cocaína e crack no Brasil, na década de 60. Atualmente está em uma clínica de recuperação para dependentes químicos em Itapira (SP).

 

Conhecido pela alcunha de Ezio 96 GL. Seu rosto se deformou devido ao consumo abusivo de álcool. Está ligado ao contrabando de armas pesadas para o Iraque e Bósnia.

 

Este é o July Pop. Após uma pequena lesão praticando rappel, em que a corda enroscou em sua testa e o mesmo ficou pendurado, pode-se vê-lo atualmente correndo na Rodovia Marechal Rondon. Suas atividades de terrorismo e estelionato se encerram após o acidente.

 

Marco Trambique. Aparentemente inofensivo e com um ar banal, chefia uma quadrilha de roubo de cargas, no Mato Grosso. É um dos maiores cultivadores de cannabis sativa da região.

 

Este é Zé Técnico. Irmão de Marco Trambique, é especialista em dar golpes em instituições governamentais (Imposto de Renda, Previdência Social, etc.). Suspeita-se que haja ligação sua com a deputada Jorgina de Freitas e com o juiz Nicolau (Lalau).

 

Moacir Severino Cícero. Cearense, sempre andou no mundo negro do crime, até se regenerar em Bangú I. Hoje em dia é motorista de lotação clandestina em SP.

 

Este é o Tony Elétrico, ex-integrante do Risbolah (grupo terrorista). Esse olho caído originou-se do costume de fazer pontaria com seu lança-rojões. Atualmente está preso no Líbano pelos atentatos terroristas que liderou. Sua ligação com o Al Qaeda ainda não está confirmada.

 

Este é Marcantônio. Famoso na região de Campo Grande (MT), lider do MST (Movimento dos Sem-Terra). Já executou e mandou executar algumas pessoas que interferiram em suas conquistas territoriais..

 

El Capo Giuseppe Roque. Iniciou-se no Brasil, por volta de 1910, suas atividades escusas ligadas à máfia italiana. Sua fortuna acumulada durante todos estes anos é preocupação permanente da Receita Federal.

 

José Carlos Raimundo Nonato. Pistoleiro no Pará, nunca capturado. Atribui-se a ele mais de 230 homicídios. Age com sua mulher e na luz do dia. Contratado principalmente nos garimpos de ouro deste estado.

 

Esta é Nani Nonato, esposa de José Carlos Raimundo Nonato. Ela comanda a chacina no garimpo juntamente com o marido. Costuma sempre estar acompanhada de sua Magnum .357 e um Colt 45 na cintura.

Este é o Danilocão. Seu rosto se deformou devido ao uso abusivo de álcool. Chefia quadrilhas de roubo de cargas em São Paulo e Rio de Janeiro. Tem forte ligação com o Comando Vermelho.

Fabinho Paçoca. Irmão de Danilocão, é responsável pela venda de cargas roubadas. Seu ar inocente o faz passar por pessoa de bom caráter. Também conhecido pelos estupros (seguidos de morte) que já praticou. Não possui sanidade mental. É extremamente perigoso.

 

Leconha. Elemento de alta periculosidade, está atualmente no ramo de lojas de materiais para construção. Especula-se que é um dos maiores atacadistas de produtos derivados de roubo do país. É visto sempre acompanhado de Danilocão e Fabinho Paçoca, ambos conhecidos nos meios policiais por roubo de cargas.

Conhecido pela alcunha de Indião. Pratica estelionatos por todo o estado de São Paulo. Age principalmente na região de Rio Claro, Piracicaba, São Pedro e Botucatu. É facilmente reconhecido, pois está sempre alcoolizado, falando mole e com as calças urinadas. Acompanhado normalmente de Ezio 96 GL.

Conhecido nos meios policiais como Nô farinha. Vive atualmente na Bolívia, onde chefia uma quadrilha internacional de tráfico de cocaína.

Lê Rabo de Ouro. Com essa cara de macaco, é o maior difusor de Aids entre homossexuais. Atua nas cidades portuárias de Santos (SP), Rio de Janeiro (RJ), Tubarão (SC), Itajaí (SC) e Belém (PA).

 

Marcão Farinha ou como é conhecido pelos comparsas, Vespão. Como o próprio nome diz, é o responsável pela produção (refino), distribuição (e, principalmente, consumo) de cocaína no Brasil. É freqüentemente encontrado em porta de bares, fazendo caretas e retorcendo a boca. A logística utilizada pelo seu bando para distribuir a droga tem dificultado muito o trabalho da polícia.

 

Fernandinho Beira-Mar, ou Fernando The Look. Testa de ferro de várias quadrilhas, é comum encontrá-lo neste estado, após algumas torturas por ele sofridas. Atribui-se a ele o tráfico internacional de drogas. Está sempre em companhia de Marco-do-Pó.


Se possuir alguma informação sobre alguns destes elementos, por favor mande-nos um e-1/2 O sigilo é garantido.

Assim que a Polícia Federal possuir mais suspeitos, os mesmos serão incluídos aqui.



 

clique aqui!
by Banner-Link