TIGRE


NOME CIENTÍFICO: Panthera tigris.

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA: Ásia, da Sibéria às ilhas de Borneu e Sumatra, na Indonésia.

HABITAT: stepes geladas, florestas úmidas e bosques.

HÁBITOS ALIMENTARES: Devido à vasta distribuição geográfica, a alimentação do tigre é muito variada. Em geral devora cervos e suídeos, mas quando estes faltam, alimenta-se até de ursos, na Sibéria e bovinos, na Índia e Indonésia.
Para conseguir bastante alimento, o tigre caça dia e noite. Mas, em geral, ele prefere sair durante a noite, quando os veados estão mais ativos. Desta forma, fica mais protegido contra os caçadores.
Não podendo correr com rapidez por longas distâncias, o tigre cerca sua presa sem ser percebido. Com suas grandes patas acolchoadas, ele pode rastejar em completo silêncio, até ficar a seis metros da presa.

TAMANHO: O macho chega a medir cerca de 2 metros de comprimento, sem a cauda. A fêmea, porém, não ultrapassa 1,7 metro.
A maior subespécie, o tigre-siberiano, bateu o recorde de tamanho entre os felídeos. Foi encontrado um animal com 2,6 metros de comprimento, maior que qualquer leão já visto.

PESO: O macho em média pesa 190 quilos e a fêmea cerca de 150 quilos. O tigre-siberiano mencionado no item anterior pesava 320 quilos.

PERÍODO DE GESTAÇÃO: 103 a 105 dias.

NÚMERO DE FILHOTES: De 2 a 3.

CARACTERÍSTICAS DA REPRODUÇÃO: As fêmeas dos tigres atraem seus parceiros emitindo um rugido. O namoro entre eles nem sempre é violento, às vezes pode assumir uma forma muito carinhosa.
Apenas a fêmea cuida dos filhotes depois que eles nascem, mas se porventura um macho adulto que acabou de abater sua caça se encontrar com alguns filhotes, mesmo que não sejam seus, ele deixa a cria comer sua caça.

PARTICULARIDADES: É considerado um dos mais belos e temíveis animais. Quando corre através da floresta ou no campo coberto de neve, sua pele ondula e sua pelagem listrada de laranja e preto cintila como se fosse cetim. Seus gestos são ágeis, firmes e graciosos, e seu olhar fixo e penetrante é quase magnético, como se estivesse sempre observando uma presa.
Dotado de enormes mandíbulas, dentes grandes e afiados, andar macio e fortes garras, esta animal é, acima de tudo, um hábil caçador, imbátivel mesmo na captura de grandes presas, que ele derruba com apenas uma simples patada. Mesmo assim, nem sempre é fácil para os tigres encontrarem alimento, principalmente quando estão velhos ou doentes.
Premido pela fome, o tigre pode também atacar o homem. Mas, isso é mais raro do que se imagina. Os tigres dificilmente atacam seres humanos, até mesmo fogem ao ver uma pessoa, e têm boas razões para isso: ao longo do tempo pela fama de valentia e coragem que isso representa, bem como pela beleza de sua pele e pelo terror que eles inspiram, os tigres foram caçados impiedosamente pelos homens.
Com seu porte altivo, solto pela floresta, farejando uma presa com suas artimanhas de caçador ou defendendo seu território, o tigre parece uma fera invencível. Mas, nos últimos duzentos anos, ele foi caçado até ser praticamente eliminado das selvas. Hoje está entre os animais com maior risco de extinção.
A duração média de um tigre é 20 anos. Vivendo perigosamente, sempre lutando entre si por uma presa, os machos geralmente vivem menos do que as fêmeas. Nesses embates muitos saem gravemente feridos, perdem forças e acabam morrendo.
Muito semelhante na cor da pele e na formação física torna-se difícil distinguir um tigre macho de uma fêmea, a não ser pela companhia de filhotes, já que só a fêmea cuida da cria. Outra maneira de identificação é pelo tamanho.
Os tigres habitavam antigamente quase todo o continete asiático. Muitos deles ocupavam o norte gelado da Ásia, outros viviam nas cordilheiras da Ásia central e muitos, ainda, habitavam as densas e úmidas florestas do sul. Vivendo em lugares diferentes, desenvolveram-se em várias subespécies, apresentando características diferentes. Embora possam viver em climas e ambientes variados, os tigres não conseguem conviver com o ser humano. Tantos foram os tigres abatidos pelo homem, que duas subespécies já foram extintas: o tigre-do-Cáspio e o tigre-de-Bali. Ao todo restam cerca de cinco mil espécimes.

1